sexta-feira, 29 de julho de 2016

Lançamentos de filmes do mês de Agosto / 2016

julho 29, 2016
Hey, meus amores! Como estão? Espero que estejam bem! Hoje, trago para vocês uma postagem bem interessante mostrando os lançamentos de filmes do mês de agosto. No próximo mês, teremos bastante filmes interessantes e que prometem nos surpreender! Vamos conferir e preparar logo o bolsinho? hahahaha.

A Intrometida : PosterA Intrometida
Não recomendado para menores de 14 anos
Para Marnie Minervini (Susan Sarandon) a maternidade não é um dever, mas sim uma vocação. Mesmo após a recente morte do marido, ela não deixa de ser alegre, sempre mandando mensagens, ligando e aparecendo sem avisar na casa da filha, Lori (Rose Byrne). Almejando algum controle sobre sua vida, principalmente após o término de um relacionamento, Lori tenta sair das asas da mãe, mas Marnie segue a filha até Los Angeles e acaba desenvolvendo uma conexão com um policial (J.K. Simmons).
Lançamento dia 04 de agosto



A Loucura Entre Nós : PosterA loucura entre nós
Não recomendado para menores de 12 anos
Através dos corredores e grades de um hospital psiquiátrico, busca-se personagens e histórias que revelem as fronteiras do que é considerado loucura. Por meio de, principalmente, personagens femininos, o documentário exala as contradições da razão nos fazendo refletir nossos próprios conflitos, desejos e erros.

Lançamento dia 04 de agosto



Esquadrão Suicida : PosterEsquadrão Suicida
Não recomendado para menores de 12 anos
Reuna um time dos super vilões mais perigosos já encarcerados, dê a eles o arsenal mais poderoso do qual o governo dispõe e os envie em missão para derrotar uma entidade enigmática e insuperável que a agente Amanda Waller (Viola Davis) concluiu que só pode ser vencida por indivíduos desprezíveis e com nada a perder. Quando os membros do improvável time percebem que não foram escolhidos para vencer, mas sim para falharem inevitavelmente, será que o Esquadrão Suicida decide ir até o fim tentando concluir a missão ou a partir daí é cada um por si?
Lançamento dia 04 de agosto



A Viagem de Meu Pai : PosterA viagem de meu pai
Não recomendado para menores de 12 anos
Aos 80 anos, Claude Lherminier (Jean Rochefort) já não é mais o grande industrial de antigamente. Aposentado, ele sofre com a perda de memória, e não consegue viver sem a ajuda de enfermeiras. Mesmo assim, insiste em morar sozinho, afugentando todos que tentam ajudá-lo. A filha Carole (Sandrine Kiberlain) não quer colocá-lo num asilo, mas se preocupa com as manias e obsessões do pai. Em especial, Claude não para de falar na visita da outra filha, Alice, que não vem vê-lo há quase dez anos.
Lançamento dia 11 de agosto





Águas Rasas : PosterÁguas Rasas
Nancy (Blake Lively) é uma jovem médica que está tendo de lidar com a recente perda da mãe. Seguindo uma dica sua, ela vai surfar em uma paradisíaca praia isolada, onde acaba sendo atacada por um enorme tubarão. Desesperada e ferida, ela consegue se proteger temporariamente em um recife de corais, mas precisa encontrar logo uma maneira de sair da água.
Lançamento dia 11 de agosto


Perfeita é a Mãe : PosterPerfeita é a mãe
Uma mulher (Mila Kunis), com uma vida aparentemente perfeita - bom casamento, filhos exemplares, ótimo emprego, etc - acaba ficando estressada além do ponto com as obrigações de sua vida. Cansada desse estado, ela se une a duas outras mulheres (Kathryn Hahn e Kristen Bell) que passam pelos mesmos problemas que ela para sair em uma jornada de libertação.
Lançamento dia 11 de agosto


Amor & Amizade : PosterAmor & Amizade
Século XVIII. Viúva há poucos meses, a bela Lady Susan Vernon (Kate Beckinsale) foge das fofocas sobre seus casos amorosos buscando refúgio na fazenda dos antigos cunhados. Lá reflete sobre a vida e decide arranjar um novo marido para si e um bom pretendente para a filha, Frederica (Morfydd Clark).


Lançamento dia 18 de agosto


Quando as Luzes se Apagam : Poster
Quando as luzes se apagam
Desde que era pequena, Rebecca tinha uma porção de medos, especialmente quando as luzes se apagavam. Ela acreditava ser perseguida pela figura de uma mulher e anos mais tarde seu irmão mais novo começa a sofrer do mesmo problema. Juntos eles descobrem que a aparição está ligada à mãe deles, Rebecca começa a investigar o caso e chega perto de conhecer a terrível verdade.


Lançamento dia 18 de agosto



Pets - A Vida Secreta dos Bichos : PosterPets - A vida secreta dos bichos
Max é um cachorrinho que mora em um apartamento de Manhattan. Quando seu dono traz para casa um viralata desleixado chamado Duke, Max não gosta nada, já que o seu tempo de bichinho de estimação favorito parece ter acabado. Mas logo eles vão ter que colocar as divergências de lado pois um coelhinho branco adorável chamado Snowball está construindo um exército de animais abandonados determinados a se vingar de todos os pets que tem dono.

Lançamento dia 25 de agosto





E finalmente a postagem chegou ao final, amores. Só ressaltando que aqui não tem todos os lançamentos. Tem muito mais filme por aí. Os posters e os trailers foram retirados do site Adoro Cinema e lá, vocês podem conferir todos os filmes que irão lançar. Espero que tenham gostado da postagem e não deixem de comentar quais filmes vocês ficaram curiosos para assistir, que estão loucos para conferir e enfim. Fiquem a vontade!
Beijos e até a próxima, amores.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

CAIXINHA DO CORREIO | Segunda Parte

julho 25, 2016


Olá, leitores e leitoras! Como estão? Espero que bem. Depois de alguns anos e séculos (dramática) sem postar a caixinha do correio, vim mostrar para vocês a continuação dos recebidos. Para conferir a primeira parte, é só clicar aqui. Sei que demorei bastante para trazer a segunda parte, mas estava uma confusão aqui e só agora que eu pude tirar as fotos e mostrar para vocês. Mas enfim, vamos parar de enrolar e mostrar os livros que eu ganhei, troquei e recebi!








Em parceria com a Editora Planeta, recebi o livro O Reino Selvagem, que já tem resenha aqui no blog. Para conferir é só clicar aqui. Foi uma leitura que no início foi bem lento, mas no meio para o final, o livro me surpreendeu. A única coisa que me decepcionou foi que tem continuação e que ainda não foi lançado. Também recebi o livro Aprendendo a Seduzir, da Patricia Cabot. Não tinha lido nenhum livro da Meg com esta pegada romance de época, mas gostei bastante da leitura. Não foi uma das minhas melhores leituras em relação a este gênero, mas foi agradável. Também já tem resenha e para conferir é só clicar aqui.






A estrela que nunca vai se apagar, foi através de uma troca. Sempre tive muita curiosidade de conhecer este livro, mas acabei ficando desanimada e está por enquanto, abandonado aqui na estante. Na verdade perdi a vontade e a curiosidade de conhecer o livro. Outro livro que foi por meio de troca foi A última carta de amor. Gosto muito da escrita da Jojo e acabei querendo ler este também. Ainda não li e também não estou com muita vontade de ler. Quem sabe um dia eu leia (risos).

Outros livros que foram trocas, foi a obra O segredo do meu marido, publicada pela Editora Intrínseca. Sempre quis ter esse livro por essa capa que eu sou simplesmente apaixonada. Já li e infelizmente não foi uma leitura que me agradou muito, mas mesmo assim valeu a pena por causa dessa capa linda. Outro livro que foi troca, é a obra Gelo Negro. Já ouvi falar muito dessa autora e desse livro e tive e tenho muita curiosidade de ler. Ainda não li, mas estou ansiosa para conferir esta leitura.


Outro livro de troca foi O último passageiro. Confesso que não sei nem sobre o que se trata e nem sei porque eu quis ele (risos). Mas enfim... um dia talvez eu leia! O livro O dia seguinte eu ganhei da minha irmã. O tema tem a ver com a Segunda Guerra Mundial, e como eu amo este tema, ler livros desse gênero, eu estou bem curiosa para ler ele.


Estava completamente ansiosa para ter o segundo volume da série A guerra dos fae e depois de tanto tempo, finalmente eu tenho ele! Ainda não li porque eu não tenho os outros. Então, primeiro eu quero ter todos, pois eu tenho certeza que irei devorar rapidamente. Já li o primeiro e super recomendo que todos leiam! O outro livro também foi O sol é para todos. Sempre quis ler esse livro e já ouvi e li muitas críticas positivas. Infelizmente no momento eu perdi a vontade, mas espero que em breve eu leia e que eu goste da leitura.

E essas foram as minhas aquisições, amores. O que acharam? Tem livros maravilhosos e os livros que ainda não li, espero que eu leia em breve para trazer resenhas para vocês. Não deixem de comentar se já leram algum, se tiveram interesse nos livros citados e enfim. O blog é todo de vocês!
Beijos e até a próxima! 

sexta-feira, 22 de julho de 2016

RESENHA| Loney, de Andrew Michael Hurley

julho 22, 2016
Loney
Andrew Michael Hurley
Páginas: 304
Capa dura
Ano: 2016
Editora: Intrínseca
Idioma: Português
Obra cedida em parceria com a Editora Intrínseca

Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar.À época, a mãe de Smith arrastou a família para aquela região numa peregrinação de Páscoa com o padre Bernard, cujo antecessor, Wilfred, morrera pouco tempo antes. Cabia ao jovem sacerdote liderar a comunidade até um antigo santuário, onde a obstinada sra. Smith crê que irá encontrar a cura para o filho mais velho, um garoto mudo e com problemas de aprendizagem.O grupo se instala na Moorings, uma casa fria e antiga, repleta de segredos. O clima é hostil, os moradores do lugar, ameaçadores, e uma aura de mistério cerca os desconhecidos ocupantes de Coldbarrow, uma faixa de terra pouco acessível, diariamente alagada na alta da maré. A vida dos irmãos acaba se entrelaçando à dos excêntricos vizinhos com intensidade e complexidade tão imperativas quanto a fé que os levou ao Loney, e o que acontece a partir daí se torna um fardo que Smith carrega pelo resto da vida, a verdade que ele vai sustentar a qualquer preço.Com personagens ricos e idiossincráticos, um cenário sombrio e a sensação de ameaça constante,Loney é uma leitura perturbadora e impossível de largar, que conquistou crítica e público. Uma história de suspense e horror gótico, ricamente inspirada na criação católica do autor, no folclore e na agressiva paisagem do noroeste inglês.

Olá galera!

E pra terminar essa maratona Loney, trago para vocês a resenha desse livro intenso, que me arrancou da minha zona de conforto e me jogou no mar da incerteza. Nadei e consegui chegar até aqui... Minha fé continua inabalável, mas minha loucura chegou a níveis inimagináveis!

Primeiro romance de Andrew Michael Hurley, Loney é uma experiência literária no mínimo interessante. Com traços de horror gótico, a narrativa ultrapassa qualquer definição pré-estabelecida, pois encontramos traços de suspense, drama, terror psicológico, fanatismo religioso, rituais, problemas familiares, fé e o poder da natureza.

Tonto como foi apelidado pelo Padre Bernard, narra os eventos que envolvem uma das inúmeras peregrinações de sua família para o litoral Lancashire na Inglaterra, numa faixa da costa conhecida como Loney, durante o ano de 1976. Uma viagem muitas vezes motivada pela busca incessante de sua mãe Sra. Esther Smith, pela tão sonhada cura de seu irmão Hanny, um menino “mentalmente perturbado”, desprovido de fala. A mãe Esther acredita que o lugar detêm poderes que possam restabelecer a saúde do filho.

“Ela estava convencida de que lá – e somente lá – Hanny teria alguma chance de ser curado”

Tonto e sua família são a família padrão, católicos fervorosos vão à igreja regularmente.  Esther é extremamente rigorosa em sua fé, chegando a ser inclemente com a família. O pai fazia de tudo para seguir as vontades da esposa, tudo em prol da “paz familiar”.

Padre Bernard McGill assume na paróquia, posterior o padre Wilfred perder a sanidade, a fé e a vida, após uma de suas viagens a Loney. Porém o que era pra ser uma inclusão serena acaba sendo uma luta velada entre o Padre e Esther. Ela querendo que o novo sacerdote mantenha os costumes do antigo pároco e ele almejando trazer mudanças que satisfaçam a todos. Assim, motivado por sua vontade de agradar os fieis, padre Bernard leva os peregrinos a Loney.
Loney em si é uma baía, que tem mudanças rápidas entre a maré, atingindo curiosos e desavisados, roubando-lhes a vida. Já do outro lado da baía temos uma pequena ilha, lugar esse que existia uma casa conhecida como Thessaly, onde reza a lenda que o local já foi á casa de uma bruxa, que acabou sendo enforcada por sua perversidade.

"Porém, era impossível conhecer de verdade o Loney. O local mudava a cada afluxo e recuo das águas, e as marés de quadratura revelavam os esqueletos daqueles que julgavam ter lido e interpretado o lugar suficientemente bem a ponto de escapar de suas traiçoeiras correntes. Apareciam animais, às vezes pessoas, certa vez os restos mortais de ambos - um peão e sua ovelhas interceptados e afogados na antiga travessia de Cúmbria. E agora, desde a morte deles, havia um século ou mais, o Loney vinha empurrando suas ossadas de volta para a terra, como se estivesse provando a pertinência de um argumento".

Loney é muito mais que um local imponente, é o protagonista da história. Espalha medo e molda o caráter daqueles que lá vivem e traz mal estar para aqueles que o visita.

A robustez da história de Hurley reside nos personagens bem desenvolvidos, na exuberância do amor de Tonto pelo seu irmão Hanny, dos moradores locais esdrúxulos que causam arrepios, nos elementos da natureza apavorante, na fé quase desvairada de sua mãe. O leitor se sente compelido a participar da narrativa, seja por curiosidade, seja por covardia de abandonar o livro.
A edição da Editora Intrínseca está perfeita! Em capa dura preta, com uma jacket macia ao toque. As folhas são de papel pólen e a diagramação enxuta com fonte agradável.

Recomendo a leitura, mesmo sabendo que existem momentos de tensão na narrativa. Há diversas perguntas sem resposta, e acredito que cada leitor deve chegar a suas próprias deduções. 

quinta-feira, 21 de julho de 2016

[RESENHA] Raio de Sol, de Kim Holden

julho 21, 2016
Raio de Sol
Escrito por Kim Holden, publicado pela Editora Planeta
448 páginas, Ano 2016
5 estrelas
Obra cedida em parceria com a Editora Planeta
Segredos. Todo mundo tem um. Alguns são maiores que os outros. Alguns, quando revelados, podem curar você... E outros podem acabar com você. “Faça épico”, costuma dizer Kate Sedgwick quando quer estimular alguém a dar o melhor de si. Nascida numa família-problema, com direito a mortes e abandono, a garota de dezenove anos sempre buscou fazer a diferença. Em vez de passar os dias lamentando os infortúnios da vida, como tantos fariam em seu lugar, sempre vê as coisas pelo lado positivo – não é por outro motivo que Gus, seu melhor amigo, a chama de Raio de Sol. E é por isso que, quando passa na faculdade e se muda da ensolarada San Diego, na Califórnia, para a fria cidade de Grant, em Minnesota, ela leva consigo apenas boas lembranças e perspectivas. O que ela não espera é que será surpreendida pelo amor – único aspecto da vida em relação ao qual nunca quis ser otimista – ao conhecer Keller Banks, um rapaz que parece corresponder aos seus sentimentos. Acontece que tanto ele quanto ela têm um segredo. E segredos, às vezes, podem mudar tudo.
Hoje, minha vida é maravilhosa. Eu não quero pensar no amanhã. Ou no dia após ele. Então eu repito para mim mesma: Hoje, minha vida é maravilhosa.

Definitivamente Raio de Sol é um livro difícil de falar sem arruinar nada, e é ainda mais complicado falar por conta do grau de emoção que evocou em mim.
Sabe aquele livro que em tudo agrada? Com personagens cativantes e uma narrativa maravilhosa? A leitura simplesmente flui e conseguir parar não é uma alternativa.

A nossa protagonista Kate é perfeita. Ela sente tudo de maneira forte e ama se relacionar com as pessoas. Não sei se alguém leu o livro Pollyana e o seu eterno Jogo do Contente, pois então, ela é igual à Pollyana, ela sempre vê o lado bom em tudo. Foi refrescante encontrar uma protagonista leve, sem grandes dramas emocionais. Uma protagonista que sabe criar laços, fazer amizades e ser feliz!

Não julgue. Nós todos temos nossas merdas. Cuide de sua vida e não meta o nariz onde não é chamado. E se você for chamado, ajude, não julgue.

Kate tem um melhor amigo chamado Gus e a amizade entre eles é simples e fácil. Eles se amam de maneira intensa e é impossível você não se apaixonar por Gus. Temos também Keller, seu relacionamento romântico na história. E não menos importante Shelly, Clayton e Pete, seus amigos na faculdade e colegas de dormitório. Eu não sei qual foi que tipo de magia a autora Kim Holden jogou nessa narrativa, mas todos os personagens te cativam e você se sente dentro da história, convivendo com eles.

É uma história de emoções conflitantes. Você está rindo das loucuras da Kate, inebriada de bons sentimentos, quando de repente seu coração aperta e lágrimas teimam em sair dos olhos. É realmente uma leitura agridoce.


Sempre me orgulhei de ser uma pessoa positiva e de bem com a vida, mas este livro é uma lição de amor e motivação. É sobre a importância de fazer valer cada momento e de encontrar prazer e principalmente valorizar as coisas mais simplórias da vida.

Cada dia, cara hora, cada minuto, eu tento. “Faça épico.”

Há tanta coisa que acontece neste livro que eu simplesmente não posso dizer muito do enredo.  Com certeza esse é um daqueles livros que você deve apenas conhecer, explorar e deleitar-se. Então faculto a vocês a incumbência de ler o quanto antes essa obra sensacional.

terça-feira, 19 de julho de 2016

A construção da atmosfera | Loney, de Andrew Michael Hurley

julho 19, 2016
Preparados para mais um dia? Quero hoje arrastar vocês para a atmosfera de Loney... Sentiram a leve brisa no rosto? Pois embarquem comigo e notem que Loney lentamente irá se revelar a vocês e irá arrastá-los para um mar de mistérios. Possuem fé que conseguirão desvendar todos os dilemas que cercam Loney?

Loney refere-se a uma região costeira desolada em Lancashire, Inglaterra. O cenário principal é sombrio e enevoado, uma parte do litoral britânico castigado pelo vento e coberto por marés cinzentas implacáveis e traiçoeiras, onde inúmeros acontecimentos funestos acontecem.

É através dessa paisagem fatigada, repleta de mistérios e estranhos incidentes que os personagens dessa narrativa estampam seus princípios, insatisfações e desatinos de maneira sólida e mordaz.

O autor Andrew Michael Hurley impregna sua narrativa com uma suscetibilidade exacerbada, produzindo um ambiente que mais parece o protagonista na história, causando um mal estar crescente. Ele controla a narrativa de maneira precisa e suas doses homeopáticas inquietam e tornam o leitor vulnerável e suscetível aos acontecimentos.


Curiosos? Que tal uma visitinha a Loney? Dizem que do outro lado da baía existe uma pequena ilha, de difícil acesso, aonde existia uma antiga casa conhecida como Thessaly. Reza a lenda que o local foi moradia da casa de uma terrível bruxa, que acabou sendo enforcada por conta de sua perversidade.

"Eu nunca gostei do aspecto da Thessaly e, embora no passado sempre tivéssemos recebido rigorosas instruções para jamais cruzar as areias que levavam a Coldbarrow, de forma alguma teríamos ido até lá".

Para conferir a primeira postagem da semana especial do livro Loney, clique aqui

segunda-feira, 18 de julho de 2016

O terror psicológico da história | Loney, de Andrew Michael Hurley

julho 18, 2016

Olá moçada! Trago para vocês o início de uma semana pra lá de assustadora! Vocês já devem ter adivinhado... Sim, estou falando de Loney, do autor Andrew Michael Hurley, lançado pela Editora Intrínseca.

Confesso que li segurando minha água benta, uma ajudinha extra, sabe? Mas jogando minha inquietação de lado, vamos checar se consegui sair ilesa desse mar tempestuoso que foi Loney?



SINOPSE: Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar.
À época, a mãe de Smith arrastou a família para aquela região numa peregrinação de Páscoa com o padre Bernard, cujo antecessor, Wilfred, morrera havia pouco tempo. Cabia ao jovem sacerdote liderar a comunidade até um antigo santuário, onde a obstinada sra. Smith crê que irá encontrar a cura para o filho mais velho, um garoto mudo e com problemas de aprendizagem.
O grupo se instala na Moorings, uma casa fria e antiga, repleta de segredos. O clima é hostil, os moradores do lugar, ameaçadores, e uma aura de mistério cerca os desconhecidos ocupantes de Coldbarrow, uma faixa de terra pouco acessível, diariamente alagada na alta da maré. A vida dos irmãos acaba se entrelaçando à dos excêntricos vizinhos com intensidade e complexidade tão imperativas quanto a fé que os levou ao Loney, e o que acontece a partir daí se torna um fardo que Smith carrega pelo resto da vida, a verdade que ele vai sustentar a qualquer preço.
Com personagens ricos e idiossincráticos, um cenário sombrio e a sensação de ameaça constante, Loney é uma leitura perturbadora e impossível de largar, que conquistou crítica e público. Uma história de suspense e horror gótico, ricamente inspirada na criação católica do autor, no folclore e na agressiva paisagem do noroeste inglês.

O terror psicológico da história é altamente arrastado, e não envolve visões, assombrações ou algo dessa espécie, mas invade com profundidade gélida a mente do leitor mais desavisado, trazendo uma sensação de desconforto e receio.

As sutis insinuações ao sobrenatural, com toques estranhos de fervor religioso de um grupo de católicos, misturados com a superstição pagã dos nativos, transfere impulso, fornecendo uma impressão constante de perigo iminente.

O leitor é levado a crer que algo de muito ruim está para acontecer de maneira mais sombria e irremediável possível e gerir as emoções é uma tarefa cansativa.

É moçada, só a luz acessa não vai ajudar na leitura não viu? É preciso coragem, respirar fundo, nadar nas águas turbulentas e sair ileso disso tudo!

Amanhã tem mais... Com ou sem medo, vamos seguir em frente! Não permita que Loney seja a sua ruína!

“Suas paredes jamais haviam contido uma família. Ninguém nunca havia dado risada lá. A casa era dominada por uma espécie de asfixia, um silencio pesado, que imediatamente lhe dava um ar desconfortável. Nunca mais senti isso em nenhum outro lugar, mas sem dúvida lá havia algo que detectei com uma percepção diferente. Não um fantasma ou algo ridículo do tipo, mas, ainda assim, alguma coisa”.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Melhores leituras do primeiro semestre de 2016!

julho 15, 2016


Olá, leitores e leitoras! Como estão? Espero que estejam ótimos. Trago hoje uma postagem mostrando as minhas melhores leituras do primeiro semestre desse ano. São livros que me marcaram de alguma forma e vim mostrá-los a vocês. Vamos conferir?


Um dos livros que eu gostei bastante de ler foi a obra "Aprendendo a seduzir", da Patricia Cabot. É um livro leve, divertido e com personagens cativantes. A protagonista não e cativou mas, foi uma leitura muito boa! [RESENHA DO LIVRO]

SINOPSE: O que qualquer mulher faria se flagrasse o noivo aos beijos com outra mulher? Cancelaria o casamento e nunca mais colocaria os olhos no desalmado traidor. Certo? Não lady Caroline Linford. Apaixonada pelo belo e galante marquês de Winchilsea, ela não se dá por vencida e resolve ir em frente com o casamento. Afinal, lady Linford ama seu prometido. Com o intuito de se tornar o único objeto do desejo de seu noivo, ela convoca o renomado Braden Granville, mestre na arte da sedução, para, com ele, aprender a ser a melhor amante que Winchilsea pode vir a ter. Porém, a aluna se torna tão aplicada que arrancará mais que elogios de seu professor...


"Ele está de volta" com certeza foi uma leitura marcante. Quando soube que o protagonista era o próprio Adolf Hitler, saí correndo para ler esta obra. Li o livro e depois assisti o filme e digo que ambos são incrível. Sarcástico, irônico e com uma pontinha de realidade. Super recomendo a leitura, mesmo não sendo uma das leituras mais fácies. 

SINOPSE:  Berlim, 2011. Adolf Hitler acorda num terreno baldio. Vivo.
As coisas mudaram: não há mais Eva Braun, nem partido nazista, nem guerra. Hitler mal pode identificar sua amada pátria, infestada de imigrantes e governada por uma mulher. As pessoas, claro, o reconhecem — como um imitador talentoso que se recusa a sair do personagem. Até que o impensável acontece: o discurso de Hitler torna-se um viral, um campeão de audiência no YouTube, ele ganha o próprio programa de televisão e todos querem ouvi-lo. Tudo isso enquanto tenta convencer as pessoas de que sim, ele é realmente quem diz ser, e, sim, ele quer mesmo dizer o que está dizendo. Ele está de volta é uma sátira mordaz sobre a sociedade contemporânea governada pela mídia. Uma história bizarramente inteligente, bizarramente engraçada e bizarramente plausível contada pela perspectiva de um personagem repulsivo, carismático e até mesmo ridículo, mas indiscutivelmente marcante.


"O reino selvagem" foi uma leitura que no início não me cativou muito, mas quando chegou no meio pro final, eu simplesmente fiquei louca com este livro. O gênero é fantasia e para quem gosta desse tipo de gênero, com certeza vai amar este livro. Os personagens são cativantes e é uma história super diferente. Além de não ter romance hahaha. [RESENHA DO LIVRO]

SINOPSE: Quando Will-C, o gato de estimação da adolescente Drue, desaparece, ela não imagina que seu sumiço tenha a ver com uma iminente revolução, tramada nos recônditos das florestas de todo o mundo. O reino animal declara guerra aos humanos que, por séculos, destroçaram o que lhes é mais caro: o meio ambiente, o seu habitat, a sua casa.
Nesse imenso e intenso conflito de proporções globais, os pets ficam numa encruzilhada quando precisam escolher o lado a apoiar: se o dos seus donos, dos homens, ou dos seus colegas naturais, os animais. Se o peludo e simpático Will-C tem dúvidas de que partido tomar, sua devotada e amorosa dona sabe muito bem o que precisa fazer: resgatar seu querido amigo e companheiro.
Reino Selvagem vai além de uma aventura animal de proporções épicas e fantásticas, é a história de um amor verdadeiro, que irá emocionar, alertar e inspirar humanos, donos ou não de animais de estimação.


Se vocês verem as minhas postagens anteriores vão perceber que eu sempre falo dessa trilogia, mas eu nunca me canso de falar! Li "Filha da profecia" no início do ano e foi uma leitura sensacional! Uma das melhores da vida. É uma trilogia, mas pode ser lido sem ser em ordem. Recomendo a todos que leiam esta obra porque a autora tem uma escrita incrível, cativante e apaixonante! Além da história e dos personagens que são incríveis. [RESENHA DO LIVRO]

SINOPSE: A história de Fainne, criada pelo pai, Ciarán, em uma terra distante. Ao se tornar adolescente, ela é visitada pela avó, a malévola feiticeira Lady Oonagh, que a obriga a embarcar em uma terrível missão: infiltrar-se na família, em Sevenwaters, e impedir que seu tio Sean e seus aliados reconquistem as Ilhas sagradas – invadidas há gerações pelos escandinavos.
Educada pelo pai usando seus dons de magia para o bem, ela, no entanto, agora se vê forçada a usar de artimanhas e maldade para atingir os objetivos de vingança de sua avó.


E por último e um dos mais especiais, é o livro "Passarinha". Gente, que livro mais sensível, tocante e emocionante. Me fez rir, refletir e chorar em vários momentos ao decorrer da leitura. Tem um tema tão importante que é ter empatia pelo próximo, que acredito que todos nós deveríamos ler este livro. Se tornou um dos meus favoritos da vida, e recomendo que todos leiam este livro e se emocionam com ele, como eu me emocionei!

SINOPSE: No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai - a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido. 
Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo. 
Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária.

Espero que tenham gostado da postagem, pessoal. Já leram algum desses? Se não, super recomendo que deem uma chance, porque realmente vale muito a pena conferir. Não deixem de comentar sobre o que acharam da postagem e das recomendações de livros. Se já leram ou se tem curiosidade em ler algum.
Beijos e até a próxima!

terça-feira, 12 de julho de 2016

LANÇAMENTOS DE JULHO | Editora Intrínseca

julho 12, 2016
EstanteIntrinsecaJul16_DestaquesBlog2 Olá, meus lindos e lindas! Como estão? Espero que estejam felizes e alegres! Hoje vim trazer uma postagem que estou até sem ar. Os lançamentos do mês de Julho da Editora Intrínseca! É cada lançamento incrível, capaz de tirar o fôlego da pessoa. Se você, minha amiga(o) é louca pelos livros dessa editora assim como eu, venha conferir os lançamentos bombásticos do mês! 

O Adulto, de Gillian Flynn
O adulto
Uma jovem ganha a vida praticando pequenas fraudes. Seu principal talento é a capacidade de dizer às pessoas exatamente o que elas querem ouvir, e sua mais recente ocupação consiste em se passar por vidente, oferecendo o serviço de leitura de aura para donas de casa ricas e tristes.
Certo dia, ela atende Susan Burkes, que se mudou há pouco tempo para a cidade com o marido, o filho pequeno e o enteado adolescente. Experiente observadora do comportamento humano, a falsa sensitiva logo enxerga em Susan uma mulher desesperada por injetar um pouco de emoção em sua vida monótona e planeja tirar vantagem da situação.
No entanto, quando visita a impressionante mansão dos Burke, que Susan acredita ser a causa de seus problemas, e se depara com acontecimentos aterrorizantes, a jovem se convence de que há algo tenebroso à espreita. Agora, ela precisa descobrir onde o mal se esconde, e como escapar dele. Se é que há alguma chance.
Em seu estilo inconfundível que arrebatou milhares de fãs, Gillian Flynn traça surpreendentes e intrigantes perfis psicológicos dos personagens e tece uma narrativa repleta de suspense ao mesmo tempo em que brinca com elementos clássicos do sobrenatural.

O navio das noivas, de Jojo Moyes
O navio das noivasAustrália, 1946. É terminada a Segunda Guerra Mundial, chega o momento de retomar a vida e apostar novamente no amor. Mais de seiscentas mulheres embarcam em um navio com destino a Inglaterra para encontrar os soldados ingleses com quem se casaram durante o conflito. 
Em Sydney, Austrália, quatro mulheres com personalidades fortes embarcam em uma extraordinária viagem a bordo do HMS Victoria, um porta-aviões que as levará, junto de outras noivas, armas, aeronaves e mil oficiais da Marinha, até a distante Inglaterra. As regras no navio são rígidas, mas o destino que reuniu todos ali, homens e mulheres atravessando mares, será implacável ao entrelaçar e modificar para sempre suas vidas. 
Enquanto desbravam oceanos, os antigos amores e as promessas do passado parecem memórias distantes. Ao longo da viagem de seis semanas — apesar de permeada por medos, incertezas e esperanças — amizades são formadas, mistérios são revelados, destinos são selados e o felizes para sempre de outrora não é mais a garantia do futuro que foi planejado.
Com personagens únicas e uma narrativa tocante, Jojo Moyes conta uma história inesquecível que captura perfeitamente o espírito romântico e de aventura desse período da História, destacando a bravura de inúmeras mulheres que arriscaram tudo em busca de um sonho.

Pó de lua nas noites em claro, de Clarice Freire
Pó de lua nas noites em claroQuando a noite fica mais escura e as ruas se calam, a maior parte das pessoas dorme e sonha. Algumas, porém, preferem o silêncio para sonhar acordadas. Clarice Freire, autora do best-seller Pó de lua, faz parte desse grupo. É nessa hora que costuma criar suas poesias e seus desenhos. Em seu segundo livro, Pó de lua nas noites em claro, ela vira a madrugada ao avesso em palavras e imagens, dedicando uma hora a cada capítulo, da meia-noite ao amanhecer. Além dos versos que conquistam o público desde 2013, quando foi criada a página Pó de lua no Facebook, Clarice alterna passagens em prosa e poesia, acompanhando sua personagem durante um longo e mágico passeio pela cidade quase deserta.
Com um humor delicado e muita sensibilidade, a autora desvenda a angústia e a alegria daqueles que preferem a noite ao dia. Sua personagem insone se rende ao desejo de sair da cama e andar pelas ruas em busca de si mesma. Descobre que não está sozinha. Os sentimentos e as lembranças ganham vida, e ela esbarra em personagens como um homem que vaga por viadutos, um vigia noturno e até um misterioso carteiro que lhe entrega correspondências às três da manhã. Com lápis de cor e tinta nanquim, Clarice ilumina a escuridão e continua fiel à missão de Pó de lua: diminuir a gravidade das coisas.

Pax, de Sara Pennypacker
Pax
Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas.
Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, Pax expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, de explorar sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.
Pax emociona o leitor desde a primeira página. Um mundo repleto de sentimentos em que natureza e humanidade se encontram numa história que celebra a lealdade e o amor.

O dia da morte de Denton Little, de Lance Rubin
O dia da morte de Denton Little
O que você faria se só lhe restasse um dia?
Denton Little sabe que dia vai morrer. É uma triste prerrogativa oferecida pelo governo: sempre que uma criança nasce, uma série de cálculos e exames é aplicada para definir o dia exato em que ela vai morrer. O dia de Denton é amanhã.
O jovem de dezessete anos tinha um plano bem definido para seus últimos momentos: um café da manhã com muito bacon, uma corridinha para espairecer, uma maratona de filmes com o melhor amigo e finalmente perder a virgindade com a namorada. Só que nada sai como o esperado. Na véspera de sua morte, Denton acorda numa cama que não é a sua e com uma garota que não é a sua namorada. E esse foi só o começo dos acontecimentos bizarros e surpreendentes. Até seu último adeus, ele ainda terá que enfrentar crises de ciúme, triângulos amorosos, ressacas monumentais, manchas estranhas se espalhando pelo corpo e revelações surpreendentes sobre sua mãe, já morta. 
Divertido, sarcástico e sensível, O dia da morte de Denton Little é uma história sobre amor, morte, amizade, escolhas e, principalmente, sobre encontrar respostas para perguntas que nem imaginávamos que nos faríamos um dia. 

Belgravia, de Julian Fellowes
BelgraviaUma nova saga histórica, fascinante e irresistível, repleta de segredos e escândalos

Ambientada nos anos 1840, quando os altos escalões da sociedade londrina começam a conviver com a classe industrial emergente, e com um riquíssimo rol de personagens, a saga de Belgravia tem início na véspera da Batalha de Waterloo, em junho de 1815, no lendário baile oferecido em Bruxelas pela duquesa de Richmond em homenagem ao duque de Wellington.
Pouco antes de uma da manhã, os convidados são surpreendidos pela notícia de que Napoleão invadiu o país. O duque de Wellington precisa partir imediatamente com suas tropas. Muitos morrerão no campo de batalha ainda vestidos com os uniformes de gala.
No baile estão James e Anne Trenchard, um casal que fez fortuna com o comércio. Sua bela filha, Sophia, encanta os olhos de Edmund Bellasis, o herdeiro de uma das famílias mais proeminentes da Bretanha. Um único acontecimento nessa noite afetará drasticamente a vida de todos os envolvidos. Passados vinte e cinco anos, quando as duas famílias estão instaladas no recente bairro de Belgravia, as consequências daquele terrível episódio ainda são marcantes, e ficarão cada vez mais enredadas na intrincada teia de fofocas e intrigas que fervilham no interior das mansões da Belgrave Square.

O demônio na cidade branca, de Erik Larson
O demônio na Cidade BrancaAssassinato, magia e loucura na feira que transformou os Estados Unidos

No final do século XIX os Estados Unidos eram uma nação jovem e orgulhosa, ávida por afirmar seu lugar entre as maiores potências mundiais. Nesse contexto, a Feira de Chicago de 1893 teve papel fundamental: com o objetivo de apresentar a maior e mais impressionante exposição de inovações científicas e tecnológicas já idealizada, coube ao arquiteto Daniel Burnham, famoso por projetar alguns dos edifícios mais conhecidos do mundo, a difícil tarefa de transformar uma área desolada em um lugar de magnífica beleza: a Cidade Branca. Reunindo as mais importantes mentes da época, Burnham enfrentou o mau clima, tragédias e o tempo escasso para construir a enorme estrutura da feira.
A poucas quadras dali, outro homem igualmente determinado, H. H. Holmes, estava às voltas com mais uma obra grandiosa, um prédio estranho e complexo. Nomeado Hotel da Feira Mundial, o lugar era na verdade um palácio de tortura, para o qual Holmes atraiu dezenas, talvez centenas de pessoas. Autor de crimes inimagináveis, ele ficou conhecido como possivelmente o primeiro serial killer da história americana.
Separados, os feitos de Burnham e Holmes são fascinantes por si só. Examinadas juntas, porém, suas histórias se tornam ainda mais impressionantes e oferecem uma poderosa metáfora das forças opostas que fizeram do século XX ao mesmo tempo um período de avanços monumentais e de crueldades imensuráveis. Combinando uma pesquisa meticulosa com a narrativa envolvente que lhe é característica, Erik Larson escreveu um suspense arrebatador, que se torna ainda mais assustador por retratar acontecimentos reais.

O tigre, de John Vaillant
O tigre
É dezembro de 1997, e um tigre devorador de gente espreita um vilarejo afastado no Extremo Oriente russo. A fera não apenas mata pessoas, ela as aniquila, devora por inteiro. Por isso um grupo de homens com cães de caça é enviado para persegui-la pela floresta densa e gélida. À medida que analisam os parcos restos mortais das vítimas do tigre, os rastreadores percebem algo impensável: os ataques não são aleatórios; fazem parte de uma vingança. Machucada, faminta e perigosíssima, a fera precisa ser detida antes que mais uma tragédia aconteça.
Escrito com maestria e muito bem embasado, O tigre recria os eventos acima descritos ao mesmo tempo em que traça um impressionante panorama de uma paisagem inóspita e gelada e de seus habitantes, que, assolados pela pobreza do pós-perestroika, recorrem à caça ilegal para sobreviver, quebrando o equilíbrio natural que por milênios, antes da colonização europeia, do desflorestamento e da matança sistemática dos animais, permitiu que humanos e tigres coexistissem no mesmo território.
A destreza e o talento de John Vaillant ao descrever o ameaçador tigre-siberiano, superpredador inteligentíssimo capaz de percorrer vastas extensões de florestas e montanhas, são magnetizantes. Uma narrativa envolvente sobre o embate homem versus natureza, com um desfecho apavorante no cenário extremo da taiga siberiana.

Faca de água, de Paolo Bacigalupi
Faca de água Num futuro árido e tumultuado, em que a água ganhou o status de commodity mais valiosa, o direito de uso das fontes e dos rios é alvo de disputas ferrenhas. Uma guerra entre governos, órgãos públicos e empresários, na qual vale tudo. Enquanto advogados e burocratas armam-se com infinitos processos judiciais, mercenários e militares subjugam proprietários de terra, implodem estações de tratamento e interrompem o abastecimento de regiões inteiras.
Nesse cenário surge Angel, um faca de água, um dos muitos mercenários com a missão de cortar e desviar o fornecimento de água a mando de quem paga mais. Lucy é uma jornalista premiada que decidiu revelar para o mundo a realidade da Grande Seca. Maria é uma jovem cuja vida foi destruída pelos efeitos das mudanças climáticas. Quando o direito de usar a água significa dinheiro para alguns e sobrevivência para outros, o que esses três personagens não sabem é que seu encontro é um marco que poderá mudar tudo. Um novo fiel da balança que sempre pendeu para o mesmo lado.
Futurista, mas nada improvável, Faca de Água é um thriller que perpassa por questões econômicas, ambientais e éticas numa narrativa que extrapola o gênero, daquelas que se lê de uma tacada só e depois leva-se um longo tempo assimilando.

Após terminar esta postagem, estou sem fôlego com tantos lançamentos incríveis. Só sei que quero ler e ter todos! Nesse mês em especial, a Editora Intrínseca arrasou com o meu coração e com o meu dinheiro (risos). E vocês? Quais estão curiosos para ler? Não deixem de comentar sobre os lançamentos e se já tiveram a chance de ler algum desses livros!
Beijos e até a próxima, meus amorecos!

sábado, 9 de julho de 2016

Aplicativos grátis para arrasar nas fotografias!

julho 09, 2016
Olá, pessoal. Como estão? Hoje trago um tema de postagem bem diferente do que é acostumado aqui no blog, mas acho importante falar sobre isso. Até porque, quem nunca quis comprar uma câmera maravilhosa, para deixar as fotos lindas, mas que custava o olho da cara? Ou que mesmo tendo uma câmera super incrível, não tinha aquele efeito lindo e maravilhoso? Então, pensando nisso trago está postagem mostrando alguns aplicativos que eu uso e que não vivo mais sem. Além de aplicativos, também irei mostrar alguns sites onlines que são ótimos para quem não quer apps, e sim no computador. Para conferir quais são, é só continuar lendo!

Não sei vocês, mas sempre gostei de fotografar e sempre quis ter uma câmera semi profissional e quem sabe até uma profissional. Ano passado consegui realizar o meu sonho de ter uma câmera e a minha é a Sony Cyber-shot DSC-H400, mas convenhamos que nem sempre podemos ter uma câmera por conta do dinheiro. E aí? Como a gente faz, Iris?

Para tirar fotos boas, não é necessário ter uma câmera incrível e maravilhosa. O grande segredo de tirar fotos bonitas é a luz natural. Não importa se você tem uma câmera profissional da Canon, sua foto só ficará realmente bonita e de qualidade sob a luz natural. Outra dica é não usar o flash. Podemos pensar que com o flash a foto fica melhor, mas na realidade não é bem assim. Por isso, não importa se é a câmera do celular, tablet ou uma câmera profissional, sempre tire fotos com a luz natural que a qualidade é muito mais maior!

Agora vamos para os apps e sites que podemos usar e abusar gratuitamente!

VSCO
O primeiro aplicativo que eu irei recomendar é o que eu mais uso, o VSCO. Este aplicativo pode ser baixado pelo Play Store tanto para celular como para tablet. Infelizmente não tem para usar no computador/notebook. Para mim ele é maravilhoso porque é simples e fácil de usar. Ele é grátis, mas tem alguns filtros que a pessoa deve pagar para poder adquirir. Mesmo assim, os grátis são incríveis e para quem quer uma edição rápida e bacana, eu super recomendo!

Snapseed
Assim como o VSCO, Snapseed também pode ser baixado pelo Play Store tanto no tablet como no celular. Este aplicativo é bem completo e têm vários filtros e pelo que eu pude perceber, nenhum filtro é pago. Além disso, ele também tem um "clarear os dentes", que ao invés de dentes, você pode clarear aquela área branca, para poder ficar mais branco ainda e o efeito ficar com cara de foto do Instagram hahaha.

AirBrush
AirBrush foi uma das grandes preciosidades que eu encontrei na vida. Ele é melhor do que o VSCO, mas mesmo assim não considero o meu prefiro por ser um pouco mais complexo e também por gostar de uma edição mais leve e simples. Para quem gosta de fazer uma edição espetacular, eu super recomendo. Ele pode ser baixado pelo Play Store tanto em tablets como em celular. 

EDITORES DE FOTOS ONLINES

Fotor
Fotor (http://www.fotor.com/) é um ótimo editor online para aqueles que querem fazer uma pequena edição ou até mesmo uma grande. Ele é bem completo, tem vários filtros de graça e também pode colocar molduras, textos e enfim, fazer a festa se quiser! hahaha. 

BeFunky
BeFunky (www.befunky.com/) é um editor razoável. Ele é ótimo para ajeitar fotos de pessoas e colocar aqueles efeitos de rímel, batom, tirar espinhas e enfim. Não gostei tanto para editar as minhas fotos, mas mesmo assim é um bom site para editar fotos de maneiras simples e sem grande resultados!

Deixei todos os aplicativos e editores com as mesmas fotos editadas para vocês terem uma ideia de como cada aplicativo e editor pode afetar uma foto. Todos eu recomendo e gosto bastante. São ótimas dicas para quem quer deixar as fotos com um aspecto melhor. Só para relembrar, edições de fotos não fazem milagres, gente. O importante é usar a luz natural e se puder, uma boa câmera. 

Espero de coração que tenham gostado da postagem e que possam seguir as dicas. Se vocês usam algum que eu não citei, não deixem de comentar aqui para eu usar também! E se gostarem da postagem, deixem ideias para eu fazer mais postagens assim, e não deixem de comentar sobre o que acharam. Realmente é muito importante a opinião de todos vocês! 

Arquivo do Blog

Visualizações