sábado, 13 de agosto de 2016

RESENHA | A garota perfeita, de Mary Kubica

A garota perfeita, de Mary Kubica
Publicada pela Editora Planeta, 336 páginas
4,5 nota
Obra cedida em parceria com a Editora Planeta
Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida.
Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à familia da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso.
Quando a encontra, porém, a professora esté em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdadeiro vilão desta história?

Nesse thriller psicológico, somos apresentados a Mia Dennett, uma garota de 25 anos, que tem uma família rica e que, aos 18 anos resolve ir morar sozinha. Filha do juiz de Chicago, James Dennett e Eve Dennett, ela vive num relacionamento conturbado e marca um encontro com o namorado, mas ele não aparece pelo motivo de sempre: Trabalho. Como seu namorado não apareceu, um homem a aborta e depois de algumas conversas e goles de bebidas, ele convida ela para o seu apartamento, e ela aceita.

Este rapaz se chama Colin Thatcher e após perseguir Mia e encontrá-la no bar, resolve colocar o seu plano em ação. O que Mia não imaginava, era que ele seria o seu sequestrador, e não apenas um paquera. Contratado para sequestrá-la, Colin leva ela para o seu apartamento, mas acaba desistindo de entregá-la ao mandante e resolve levá-la para uma cabana abandonada.

Eve recebe uma ligação de uma pessoa que diz que Mia fazia uns dias que não ia ao trabalho. Sua mãe fica desconfiada pelo fato de sua filha faltar o trabalho já que sempre foi responsável e nunca ouviu reclamações. Ela resolve ligar para as pessoas que são colegas da Mia, mas ninguém a viu. Ela começa a ficar preocupada e sem saber o que fazer, até porque a Mia não era próxima da família e nem vice-versa. Com medo de algo ter acontecido com a sua filha e por sentir um pressentimento, Gabe Hoffman é contratado para cuidar desse caso e saber o que realmente aconteceu com a Mia.

O livro vai girando em torno disso. O desaparecimento de Mia, a investigação do Gabe, Colin mantendo Mia como prisioneira, a forma como a família reage ao sumiço de Mia e toda a situação psicológica que gera ao redor das pessoas que são afetadas.

"A garota perfeita" é o tipo de livro que menos coisa que a pessoa souber, melhor. Por isso, não me prolonguei muito nos detalhes e também não falei muito da história. Então, vai uma dica de amiga: Não leia resenhas que falem demais da história e dos personagens, evite ler a sinopse e não peça spoiler as pessoas que já leram (risos). No meu ponto de vista, essa leitura só valerá a pena se você não souber quase nada sobre o livro.

O grande trunfo da obra não é o sequestro de Mia e nem a volta dela, e sim, a questão psicológica, o que acontece com os personagens ao decorrer da história. A autora cria situações, que podem ser interpretadas de várias formas. Cada leitor pode ler uma parte, pensar que está sabendo de tudo, sendo que não está sabendo de nada. Pensamos que estamos no controle da leitura, mas na verdade não estamos. Mary criou uma história que mesmo ao terminar a leitura, você fica completamente sem saber o que achar.

 Os capítulos são intercalados no antes e no depois. Confesso que no início, pelo menos nos 3 primeiros capítulos, eu fiquei bem confusa. Mas depois, tudo foi se encaixando. Os personagens foram bem construídos. Todos os personagens têm suas características, segredos e mistérios. São personagens que escondem coisas, que o próprio leitor terá que desvendar. O interessante é que cada leitor pode pensar de uma forma diferente. O que você pode pensar que é, na verdade eu posso não pensar da mesma forma. Eu diria que este livro não tem um ponto fixo, ele pode ser qualquer coisa que o leitor queira que ele seja. O vilão pode ser bom, o bom pode ser mal e por aí vai.

 "A garota perfeita" tem uma temática incrivelmente interessante e bem construída. O final é bem desenvolvido e principalmente o epílogo surpreenderá a todos que lerem. Por isso, não espie a última página pela amor de Deus. Um dos maiores trunfos está lá!

Claro, o livro não é só maravilhas e flores. Tem detalhes que não me agradaram tanto ou não me cativaram. Um dos fatores foi que a autora poderia ter colocado mais detalhes, ter mostrado mais. Algumas coisas não foram esclarecidas durante a leitura, pelo menos no meu ponto de vista. Realmente é uma leitura que podemos pensar várias coisas e de várias maneiras. Digo que seja uma leitura conturbada, que perturba a nossa mente e ficamos sem saber o que pensar. Pelo menos eu me senti assim até mesmo depois que eu li o livro e já tinha passado uma semana. Foi uma história que ficou na minha mente e que com certeza não vai saí tão certo dela.

Recomendo bastante à leitura. A Editora Planeta também está de parabéns. A capa, a revisão, a diagramação estão bem feitas. Com certeza a obra "A garota perfeita" é um livro que quem ler irá devorar rapidamente e não irá sossegar até ler o último parágrafo do livro. Para quem gosta de uma leitura forte, tensa, com temas como abuso, relacionamento, família, questões psicológicas e um suspense de tirar o fôlego, será uma leitura surpreendente.

3 comentários:

  1. Essa Mia parece eu na vida; esquecida e só se ferra 😂 mas menina que resenha completa ein? Realmente deu vontade de ler ainda mais com essa coisa de investigação
    dezoitoemponto.com

    ResponderExcluir
  2. Resenha completinha <3 Mas realmente não é meu gênero, porem, gostei da história. Acho que ficaria agoniada lendo kkk
    Nuvem de Novembro

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha, ficou show de bola! Fiquei curiosa pra ler. O primeiro livro desse estilo que eu li foi Garota Exemplar e confesso que gostei bastante, dá uma sensação louca de ler tudo em um dia só kkk.

    ResponderExcluir

Arquivo do Blog

Visualizações