segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Ação Especial // O que levaria para o Museu da Civilização?

agosto 31, 2015

Olá, pessoal! Como estão? Espero que bem. Hoje trago para vocês uma ação especial, que a Editora Intrínseca propôs aos seus parceiros. Tem relação com a obra "Estação Onze", que foi resenhado a pouco tempo aqui no blog.

Bom, o livro se trata em principal, uma grande epidemia que devastou todas as cidades e poucas pessoas sobreviveram. Mas já não bastava a gripe ter devastado tudo, várias coisas e objetos começaram a sumir e já não existia mais energia, água em abundância e muito menos tecnologia;

Porém, um grupo teve a ideia de criar o Museu da Civilização, destinado a colocarem objetos em que eles consideravam importantes e para as pessoas atuais verem o que havia restado após a grande catástrofe que mudou a vida de todos. E pensando nisso, a Intrínseca criou o nosso próprio Museu da Civilização, em que temos que colocar objetos importantes e que sentiríamos mais falta.

Do que você sentiria mais falta? Por quê? Quais objetos você levaria para o museu da civilização?
Mesmo sendo uma pergunta um pouco complicada em responder, depois de pensar um pouco, tenho que responder: sentiria mais falta da minha linda e maravilhosa estante de livros e com certeza faria alguma forma de leva-lo!
Não consigo nem imaginar em um dia eu acordar e ver que minha estante não está mais lá. Então, com certeza sentiria uma falta imensa da minha linda estante de livros, meus lindos e maravilhosos livros. Levaria sem nem pensar para o Museu da Civilização, a minha estante e todos os meus livros. 
Até porque, há livros de valor incondicional para mim e livros que ainda nem li! Imagine, sumirem os livros que ainda nem tive a oportunidade de ler? De maneira alguma deixaria os meus filhos de lado.

E vocês? O que levariam para o Museu da Civilização? Não deixem de comentar e deixar a sua opinião.
Beijos e até a próxima!

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

[Resenha]: Estação Onze - Emily St. John Mandel

agosto 28, 2015
Olá, pessoal! Como estão? Sentiram a falta das minhas resenhas? Espero que sim, pois já estava com ciúmes da Nádya com o meu filho (blog) hahaha. Bom, hoje trago a resenha do livro Estação Onze da autora Emily St. John Mandel, publicada pela Editora Intrínseca, parceira do blog. Foi uma leitura bastante diferente e única, mas alguns pontos não me agradaram tanto. Enfim, vamos conferir?

Estação Onze
Estação Onze

Emily St. John Mandel
320 páginas
Publicada pela Editora Intrínseca
(Obra cedida em parceria com a Editora Intrínseca)

Estação Onze - Certa noite, o famoso ator Arthur Leander tem um ataque cardíaco no palco, durante a apresentação de Rei Lear. Jeevan Chaudhary, um paparazzo com treinamento em primeiros socorros, está na plateia e vai em seu auxílio. A atriz mirim Kirsten Raymonde observa horrorizada a tentativa de ressuscitação cardiopulmonar enquanto as cortinas se fecham, mas o ator já está morto. Nessa mesma noite, enquanto Jeevan volta para casa, uma terrível gripe começa a se espalhar. Os hospitais estão lotados, e pela janela do apartamento em que se refugiou com o irmão, Jeevan vê os carros bloquearem a estrada, tiros serem disparados e a vida se desintegrar.Quase vinte anos depois, Kirsten é uma atriz na Sinfonia Itinerante. Com a pequena trupe de artistas, ela viaja pelos assentamentos do mundo pós-calamidade, apresentando peças de Shakespeare e números musicais para as comunidades de sobreviventes.Abarcando décadas, a narrativa vai e volta no tempo para descrever a vida antes e depois da pandemia. Enquanto Arthur se apaixona e desapaixona, enquanto Jeevan ouve os locutores dizerem boa-noite pela última vez e enquanto Kirsten é enredada por um suposto profeta, as reviravoltas do destino conectarão todos eles. Impressionante, único e comovente, Estação Onze reflete sobre arte, fama e efemeridade, e sobre como os relacionamentos nos ajudam a superar tudo, até mesmo o fim do mundo.
 

"Estação Onze" nos apresenta duas situações: o acontecimento da gripe, que mata 99% da população e o que aconteceu duas décadas depois com as pessoas e as marcas deste caos na vida dos sobreviventes.
O que se perdeu na calamidade: quase tudo, quase todo mundo, mas ainda existe muita beleza,
A obra se inicia quando, numa noite, o famoso ator Arthur Leander, durante a apresentação de Rei Lear, tem um ataque cardíaco no palco e é socorrido por Jeevan Chaudhary, um paparazzo com treinamento em primeiros socorros. Mesmo com o auxilio do Jeevan e de outras pessoas, Arthur acaba não sobrevivendo e morre.

A distância, Jeevan vê uma garotinha de 8 anos, Kirsten Raymonde, que fazia parte da peça e fica horrorizada com o acontecimento. Na mesma noite, Jeevan recebe uma ligação de Hua, um antigo amigo, que lhe informa sobre a epidemia que está devastando a cidade e pede para ele fugir para outro lugar. Após a noticia, ele decide reabastecer e comprar tudo o que é necessário e ficar morando com o seu irmão, Frank.
Porque sobreviver não é suficiente.
Décadas depois, conhecemos os personagens que sobreviveram e como eles viveram esse tempo todo. Também somos transportados para o universo teatral, através de um grupo de atores e músicos, que apresentam números musicais e peças de Shakespeare, conhecidos como Sinfonia Itinerante. 

Entretanto, somos apresentados também para uma Terra completamente escura, morta, sem luz, sem água e entre outras coisas necessárias que mantém a sobrevivência das pessoas. Entre os sobreviventes, há a Kirsten Raymonde, Jeevan, Miranda e todos estão interligados com Arthur, o ator famoso que havia falecido.
O inferno é a ausência das pessoas de quem temos saudade.
Além da epidemia, tragédias e perdas, iremos ter mistérios e segredos contidos através dos personagens e do proclamado "profeta".

Essa certamente é a resenha mais difícil que eu fiz até agora, porquê? Eu amei o livro, mas na metade do livro pro final, pensei em desistir em vários momentos.

A Emily tem uma escrita inteligente e que soube colocar todos os pontos em que eu gosto e admiro em um único livro. "Estação Onze" não é apenas um livro que cita o pós-apocalíptico, mas que mostra a beleza, a arte e mesmo após a epidemia tido devastado as cidades e as esperanças das pessoas, nos faz refletir o que é realmente importante e o que devemos valorizar.

A autora criou personagens humanos, com defeitos, medos e cada um com sua essência. A leitura é intercalado entre o passado e o presente. E foi nesse ponto que começou a minha implicância com a obra.

A obra tem muitas voltas entre o passado e o presente, sendo que em alguns momentos me senti confusa com a complexidade e como as situações mudavam de uma hora pra outra. Fora esse ponto, em vários e vários momentos a leitura se tornava muito arrastada e esse foi o motivo maior da minha desistência com a obra (mesmo lendo até o final). Mesmo a obra sendo fina, a minha demora com a autora foi mais prolongada do que em relação a um livro de mais de 500 páginas e isso me desanimou bastante .
Primeiro, só desejamos ser vistos, porém quando somos vistos, isso já não é mais suficiente. Depois, queremos ser lembrados.
Mas, com todos os contras ditos, eu recomendo a leitura, mas que leem sem grandes expectativas para maior aproveito. Além de uma boa história e personagens peculiares, a edição da obra está incrível, com uma capa que contém um efeito tipo aquelas pastas de plástico onde se coloca papel (pessoa criativa). A revisão e a diagramação está impecável como sempre.

Espero que tenham a oportunidade de ler "Estação Onze" e tirarem suas próprias conclusões.
*Me desculpem pela resenha enorme hahaha

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Lançamentos // Butterfly Editora

agosto 26, 2015
Hey, pessoal. Como estão? Espero que estejam bem. Hoje trago os lançamentos bem interessantes da Butterfly Editora. Vamos conferir as obras?

Despertando vidas
Dr. Fabio Gabas
Sinopse: Despertando vidas apresenta exercícios e técnicas para melhorar significativamente sua saúde física e emocional, disposição e energia. Você poderá modificar seus estados emocionais, valores, crenças e níveis de consciência que determinam sua percepção de mundo e, consequentemente, ganhar qualidade de vida. Por meio de um modelo de alimentação e de condicionamento físico elaborado a partir dos princípios que regem uma função celular ideal, descubra como desfrutar de mais bem-estar com menos esforço.

Conheça sobre o autor: Fábio Gabas, graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Catanduva (SP) em 1998, é médico clínico com especialização em medicina preventiva e integrativa, com prática ortomolecular. Faz parte do corpo clínico da Clínica Healthy, em São Paulo, e da Clínica Dr. Gabas, em Catanduva. É membro da A4M (American Academy of Anti-Aging Medicine), sócio-diretor da empresa HeartMetrix e idealizador do Programa Despertando Vidas, com atuação em todo o Brasil.




Ora Bolas
Vanessa Franco Peretti
Um livro diferente de todos que você já viu.

Sinopse: Você vai se divertir com o fascinante mundo das formas dos animais. Nesta obra, a artista Vanessa Franco Peretti criou desenhos a partir um padrão de cores e círculos batizado por ela de Bollidraws , conceito gráfico que une muitas curvas e movimento. São 30 belos desenhos, impressos em papel de alta gramatura, em folhas soltas que poderão ser emolduradas, tornando-se belos quadros de decoração.

Conheça sobre a autora: Artista gráfica, formada em Arquitetura e Urbanismo e pós-graduada em Designer Gráfico pela Belas Artes (SP). Ilustradora por opção e apaixonada por cores e ideias inovadoras, tem a arte em seu DNA. Já desenvolveu trabalhos internacionais e foi premiada em diversos concursos. Entre as muitas das habilidades que desenvolve para o mercado é, também, lançadora de moda. Bollidraws® é uma marca registrada da artista.


E o mais maravilhoso e incrível lançamento da editora!

Herdeiro de Sevenwaters
O 4º livro da aclamada e premiada autora Juliet Marillier

Sinopse: Quando Lady Aisling dá à luz um novo herdeiro de Sevenwaters, cabe à sua filha Clodagh a responsabilidade pela casa e pelo irmão. Porém, ele é raptado, e em seu lugar é deixado um ser que pouco lembra um bebê humano. Para recuperá-lo, Clodagh tem que se aventurar no Outro Mundo, acompanhada por um misterioso guerreiro, e enfrentar o poderoso príncipe que agora reina.
Conheça sobre a autora: Nasceu em Dunedin, na Nova Zelândia, uma cidade com fortes tradições escocesas que a influenciaram profundamente. Graduou-se em Linguística e Música na Universidade de Otago e tem uma carreira variada que inclui o ensino, a interpretação musical e o trabalho em agências governamentais. Sua famosa trilogia Sevenwaters, Filha da Floresta, Filho das Sombras e Filha da Profecia, publicado no Brasil pela Butterfly Editora, ganharam vários prêmios internacionais e Juliet foi aclamada como a sucessora de Marion Zimmer Bradley, autora da famosa série literária As brumas de Avalon.




Então é isso amores. Espero que tenham gostado dos lançamentos da Buttefly Editora e não esqueçam de comentar sobre o que acharam dos lançamentos.
Beijos e até a próxima!

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Primeiras Impressões // A Escolhida

agosto 24, 2015
Olá, pessoal. Como estão? Espero que bem! Hoje trago para vocês, novamente, as primeiras impressões minhas, mas dessa vez, da obra A Escolhida da linda Amanda Ágatha Costa. Ela disponibilizou o primeiro capítulo, juntamente com o prólogo. Vamos conferir?

First slide
A Escolhida
Amanda Ágatha Costa
Leia o primeiro capítulo aqui
Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota dispersa na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais desde a infância. Devido à sua aparente doçura e beleza, ninguém seria capaz de supor que, além de um anjo, ela também é um demônio com sede de poder. Os espertos deveriam manter-se distantes, mas há olhares que não deixam de admirá-la. Egran não desperdiçaria a chance de apoderar-se de habilidades tão interessantes: ela é a escolha perfeita. Entretanto, nem todos se sentem realizados. O círculo seria um refúgio ideal para os demais feiticeiros, se o próprio líder não os tratasse como marionetes descartáveis. Movidos pelo medo e controlados pelo mestre, os componentes do grupo obedecem, sem pestanejar, às ordens recebidas. Ao se ver arrastada para lá, Ari se encontra diante de situações improváveis, arriscando-se a expor mais do que gostaria. Para ela, sentir é algo que sempre esteve fora de seus limites. Não poderia vivenciar qualquer forma de emoção, esta era a promessa. Até que Luke surge em seu caminho e abala as estruturas congeladas, derretendo-as e modelando novos conceitos. O amor realmente fará brotar a alegria? Ou irá arrastá-la diretamente para a morte? O passado obscuro de Ari será o suficiente para fazê-la estilhaçar de uma vez por todas, não restando oportunidades para uma nova tentativa de se isolar do mundo.
Em A Escolhida, conhecemos Ari, uma garota determinada, forte e com um passado misterioso e obscuro. Sarcástica e sem papas na língua, ela foi acolhida por Lina, uma pessoa bondosa e com bons sentimentos, que acredita na bondade e no bom coração de Ari. Mesmo sendo um anjo, ela também não excita em matar e mostrar para as pessoas que ela não tem nada de bom e para não se aproximarem dela ou criarem laços.

No decorrer do capítulo, também conhecemos Luke, um homem sombrio e misterioso. Ambos com passados ocultos, irão se encontrar e abrir uma nova oportunidade ou um precipício sem fim.

Logo no primeiro capítulo, já somos cativados pelas personalidades dos personagens. Diferente de várias obras em que o autor ou a autora cria uma personagens indefesa, a Amanda criou uma personagem forte e determinada. Luke é um personagem capaz de avassalar os corações e nos suspirar com os seus músculos, seu dom sarcástico e irônico. 

A narrativa da autora me envolveu completamente. Quando comecei a ler, já estava na última página e já havia devorado o capítulo. E o que posso falar mais? Já estou ansiosa para dar continuidade a leitura e ver o que vai acontecer ao desenrolar da história!

Para quem gosta de fantasia e um romance sem nada meloso, super indico a leitura.

Confiram alguns quotes tirados do primeiro capítulo:

Os dias não passariam de horas de solidão e momentos melancólicos, repletos do sentimento de insuficiência e de abandono. Mas o destino já estava traçado, e fugir dele serviria para atrair mais desespero e novas desgraças. Era irreversível.
O eterno garoto dos cabelos negros logo seria somente mais uma lembrança entre as tantas outras que eu insistia em esconder dentro da memória.
Eu adoraria dizer que este é só um sonho ruim, daqueles que arrancam os batimentos mais agitados que um coração poderia suportar. Seria normal, pois sonhos ruins são dispensáveis. Basta desligar o botão e eles automaticamente não passam de uma porção de acontecimentos imaginários. Você logo esquece.
Sou o nada e o tudo, um meio termo. O amor não me petrifica, o perdão não é acumulado em minha carne e as emoções não invadem o meu coração. Sou a própria rocha - Luke.
Quanto maiores são as oportunidades, maiores serão as alternativas.
Espero que tenham gostado e fiquem a vontade para comentar se tiveram curiosidade de ler ou se já leram.
Beijos e até a próxima. 

domingo, 23 de agosto de 2015

Resenha - After - Anna Todd

agosto 23, 2015
Olá moçada, o livro da vez será After da escritora norte-americana Anna Todd. Ela vem ao Brasil para a 17ª Bienal do Livro do Rio. O evento acontece entre os dias 3 e 13 de setembro, no Riocentro e para a loucura dos fãs cearenses ela estará em Fortaleza, no dia 15 de Setembro na Livraria Cultura do Shopping Varanda Mall (Avenida Dom Luís, 1.010 - Piso 1 - Loja 8), às 18h30.

After
Capa comum: 616 páginas
Autora: Anna Todd
Editora: Paralela (30 de outubro de 2014)
Idioma: Português




[Acervo Pessoal]
Depois de bater a marca de um bilhão de acessos na plataforma de leitura Wattpad ao transformar os integrantes da banda One Direction em personagens de uma história de amor sexy, a série After vira livro e promete ser o novo fenômeno editorial. No primeiro livro, Tessa, de 18 anos, sai de casa, onde mora com a mãe, para ir para a faculdade. Até então sua vida se resumia a estudar e ir ao cinema com o namorado doce que conheceu ainda criança. No primeiro dia na faculdade, onde ela passa a dividir o quarto com uma amiga que adora festas, Tessa conhece Hardin, um jovem rude, tatuado e com piercings que implica com seu jeito de garota certinha. Logo, no entanto, os dois se envolvem e Tessa, que era virgem, vê sua sexualidade aflorar. Hardin é inspirado em Harry Styles, um dos membros do One Direction. Os outros quatro músicos da banda – Zayn, Niall, Louis e Liam – também viraram personagens na trama. Tessa logo descobre que Hardin possui um passado cheio de fantasmas e os dois começam um relacionamento intenso e turbulento. Depois dele, ela nunca mais será a mesma.


After de Anna Todd a princípio foi uma fanfic, relacionada ao grupo One Direction, especialmente a Harry Styles e se tornou extremamente popular no site Wattpad. Como alguns de vocês devem saber, o site da Wattpad é destinado a impulsionar as obras de potenciais novos escritores e é um lugar onde uma pessoa podem postar sua obra original, na esperança de ser notada e ou apenas compartilhar sua escrita com o mundo.

Antes mesmo de começar e ler este livro, eu tinha uma idéia geral do que poderia ser. Eu já tinha lido algumas fanfics e depois de um tempo, você começa a perceber que fanfics de uma maneira em geral, tem alguns traços pré-estabelecidos. Eles são geralmente melodramáticos, muitas vezes inúteis, e condescendentes.

Começei então a ler After sem grandes expectativas, mas Anna Todd conseguiu fazer um livro que vai do reprovável ao inusitado. Posso dizer que After é um daqueles livros que você ama ou odeia. Eu sei disso porque tinhas algumas colegas que só faltaram jogar seus exemplares no lixo, mas eu tenho que admitir... Eu realmente gostei. Eu gostei do estilo dramalhão mexicano - não foi um livro que foi escrito tentando ser "adequado aos padrões da sociedade". Ele coloca toda a sujeira de caráter e comportamento pra fora. Eu estou falando de uma história catastrófica e romântica ao mesmo tempo.

Os personagens principais do enredo são Hardin e Tessa (Theresa) que podem ser descritos sucintamente como o bad boy mulherengo, cheio de tatuagens e que consegue todas as meninas que tem vontade e a menina mais correta, inteligente e aplicada da faculdade. Eles realmente não conseguem ficar ao lado do outro sem começarem uma briga, mas como Hardin é mais esperto e vivido sempre consegue humilhar Tessa.

Eu achei o relacionamento de Tessa e Hardin realmente interessante. Porque, por um lado, eu não tinha idéia do real motivo de Tessa estar deixando Hardin tratá-la de maneira tão horrível, mas por outro lado, eu compreendia que ele estava concedendo a ela viver, tomar suas próprias decisões e sentir pela primeira vez. Era uma espécie estranha de relacionamento que até hoje não tenho certeza se eu apoio ou não. Eles se machucavam a cada momento e o desgaste emocional foi marca constante em toda a história. Definitivamente Tessa e Hardin foram o casal mais disfuncional que conheci, eles eram um desastre total.

After não é e nunca será um clássico da literatura. A história não traz ensinamentos de qualquer espécie, e na maior parte do tempo eu estava muito frustrada com a relação de Tessa e Hardin. Mas eu entendo o motivo da série ser tão popular, ela meche com a curiosidade da gente. Os capítulos curtinhos deixavam sempre um gancho para o que vinha a seguir provocando minha curiosidade. Perdi totalmente a noção do tempo lendo a história, sempre queria saber a qualquer custo a direção dos personagens.

Agora uma coisa que eu não estava preparada era para as cenas detalhadas de sexo, lotes e mais lotes de sexo quente. Eu não sou puritana, mas é um daqueles livros que você tem que manter escondido dos seus pais ou filhos menores.

Enfim, leiam se tiverem curiosidade. Não recomendo, mas também não excluo como meta de leitura! Contraditório eu sei, mas verdadeiro! Particularmente ainda estou muito curiosa pra saber o que vem por aí já que After é uma série e já saiu no Brasil seu quarto livro e ainda tem mais para ser lançado!

Caso queiram pegar um autógrafo segue os locais em que ela passará pelo Brasil....Tenho que admitir, preciso do meu autógrafo!


sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Tag dos 50% | Mid-Year Book Freak Out Tag

agosto 21, 2015

Hey, baby's! Como estão? Espero que estejam ótimos. Hoje venho responder a tag (que milagre) dos 50% ou Mid-Year Book Freak Out Tag, que foi traduzida pelo vlogueiro Victor, do Geek Freak. A tag consiste em responder sobre as minhas leituras dos primeiros 6 meses deste ano. Vamos conferir?

01. O melhor livro que você leu até agora, em 2015.
Half BadMeu Deus, que pergunta difícil (caraaaaaaaaaaamba). Mas enfim, não posso citar apenas um, seria simplesmente impossível. Então, eu irei citar dois livros: Uma Vida Para Sempre e Half Bad. Uma Vida Para Sempre, da autora Simone Taietti, já falei bastante dele e, quem leu a resenha, percebeu que eu simplesmente amei este livro com todas as minhas forças e com certeza todos deveriam ler esta obra. Já Half Bad, li sem nenhuma esperança e expectativa, e o que aconteceu? Se tornou o meu favorito também. A obra é incrível, maravilhosa, uma verdadeira Beyonce em forma de livro (risos). Mas, sério gente, o livro é muito bom. Leiam os dois, porque vale muito a pena. E para conhecer mais, leiam as resenhas de Uma Vida Para Sempre e Half Bad.

02. A melhor continuação que você leu até agora, em 2015.
Acreditam que não li nenhuma continuação esse ano? Oh my god! Que coisa boa...Mas como não quero deixar de citar algum, irei citar o que eu estou lendo atualmente que é Filho das Sombras, segundo volume da trilogia Sevenwaters. Com certeza (eu acho), será a melhor continuação que eu li ou lerei este ano...Aí não, tem a continuação de Half Bad... mas enfim, até o momento, é a melhor continuação que eu estou lendo!



03. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.
Que pergunta em... Não posso citar apenas um, porque seria impossível. Então eu quero muito: A sorte do agora do Matthew Quick, O Sol é Para Todos, A Rainha Vermelha, Por Lugares Incríveis, Trono de Vidro: Herdeira do Fogo, Half Wild e muitos outros (pobreza define).

04. O livro mais aguardado do segundo semestre.
Por incrível que pareça, nenhum no momento.

05. O livro que mais te decepcionou esse ano.
O livro que mais me decepcionou foi A procura de um marido, da Carina Rissi e também Encontrada da mesma autora. Então, li as obras sem nenhum anseio ou expectativas mesmo tendo lendo algumas resenhas positivas demais das duas obras. A procura de um marido, simplesmente me irritei com os personagens, com a história e tudo. Tudo me irritou no livro. E a continuação de Perdida, terminei a leitura com o gosto de que: Pra que a autora criou a continuação? Realmente não entendi porque ter tido a continuação. O primeiro volume me cativou bastante e o final foi maravilhoso. Mas aí a autora criou outro volume e pelo que eu soube, irá ter outros volumes que, para mim, não tem nenhum sentido ou nexo. Encontrada foi uma enrolação demais, um livro que na minha opinião foi escrito apenas para ser escrito. Desculpem, mas é a minha opinião.

06. O livro que mais te surpreendeu esse ano.
O livro que mais me surpreendeu este ano foi Quase Uma Rockstar, do autor Matthew Quick. Nunca escondi o meu ódio eterno pela obra O Lado da Vida e desde a minha leitura desse livro, não queria nem ver nada do autor. Mas aí, depois de paquerar a capa, sinopse da obra, resolvi ler a obra Quase uma Rockstar, e cara, simplesmente amei e me marcou bastante. Uma leitura incrível, com tanta sensibilidade, que nos diverte e nos emociona. Uma obra realmente surpreendente. Leia a resenha aqui!


07. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).
Minha diva e maravilhosa Victoria Aveyard, autora da obra A Rainha Vermelha! Já li este livro, mas infelizmente foi em e-book, mas, estou louca por este livro e esta diva, realmente me cativou e estou apaixonada por ela e por sua obra incrivelmente incrível. E, não vejo a hora de comprar este livro e ter este pequeno pedaço do paraíso na minha estante!



08. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.
Meu Dorian, da série Trono de Vidro! Senhor, como amo este homem. Não tenho apenas uma quedinha, o corpo todo caí (risos). Mas falando sério, é amor platônico e sentimento incondicionalmente verdadeiro! Muito amor mesmo.




09. Seu personagem favorito mais recente.
Irei citar o tio-avó da Marie-Laure, da obra Toda luz que não podemos ver do autor Anthony Doerr. É um personagem que aparece no meio da obra, mas que realmente me cativou completamente. Não irei falar sobre ele pois estraria o prazer de ler a obra e conhecer este personagem que deu um toque muito especial ao livro. Leiam a resenha aqui




10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.
Vi muitas pessoas falando que a obra não era emocionante, que a autora não transmitia nenhuma emoção com a obra e quando fui ler, me surpreendi com o livro Se Eu Ficar. Li o livro sem nenhuma expectativa, ao contrário, totalmente desanimada. Mas no início mesmo já fui sendo cativada pela obra e em um momento da obra (não irei falar qual), eu chorei desesperadamente. Foi um livro que mexeu bastante comigo e que me fez chorar bastante.

11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.
Um livro que me deixou feliz foi ler Não Pare, da autora FML Pepper. Me deixou feliz porque eu estava desesperadamente para ler e quando eu finalmente li, fiquei feliz e fim.





12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2015.
Momento vergonha: Não assisti nenhuma adaptação cinematográfica este ano, sim, não assisti nenhum filme na verdade.

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).
A minha resenha favorita que eu fiz este ano foi Para todos os garotos que já amei. O motivo é que eu gostei bastante de escrever ela e também porque conheci pessoas maravilhosas através dela.




14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.
O livro com a capa mais bonita que eu recebi na verdade, foi da Editora Intrínseca, o livro Estação Onze, que tem uma capa simplesmente incrível e com um efeito maravilhoso, como se fosse uma pasta. Muito amor por esta capa, mas infelizmente a obra não está me cativando tanto.




15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?
Half Wild e o quarto e quinto volume da série Os Bridgertons. No momento, essas são as minhas necessidades!


Essas foram as minhas respostas, amores! Espero que tenham gostado e quem quiser responder, fique a vontade.
Beijos e até a próxima.

Arquivo do Blog

Visualizações