sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Resenha // A sorte do agora, de Matthew Quick

Olá, pessoal! Como estão? Espero que estejam ótimos. Bom, hoje trago para vocês a resenha de uma obra que até agora, depois de semanas, eu não consigo definir o que eu sentir. Mas por meios de palavras (algumas confusas e sem nexo, não sei), irei falar sobre esta obra tão peculiar e o que eu achei dela. 

A sorte do agora
Matthew Quick, obra publicada pela Editora Intrínseca
224 páginas, 5 estrelas + favoritado
Obra cedida para resenha em parceria com a Editora Intrínseca
Bartholomew Neil passou todos os seus quase 40 anos morando com a mãe. Depois que ela fica doente e morre, ele não faz ideia de como viver sozinho. Wendy, sua conselheira de luto, diz que Bartholomew precisa abandonar o ninho e fazer amigos. Mas como um homem que ficou a vida toda ao lado da mãe pode aprender a voar sozinho? Bartholomew então descobre uma carta de Richard Gere na gaveta de calcinhas da mãe e acredita ter encontrado uma pista de por quê, afinal, em seus últimos dias a mãe o chamava de Richard... Só pode haver alguma conexão cósmica! Convencido de que Richard Gere vai ajudá-lo, Bartholomew começa essa nova vida sozinho escrevendo uma série de cartas altamente íntimas para o ator. De Jung a Dalai Lama, de filosofia a fé, de abdução alienígena a telepatia com gatos, tudo é explorado nessas cartas que não só expõem a alma de Bartholomew, como, acima de tudo, revelam sua tentativa dolorosamente sincera de se integrar à sociedade. Original, arrebatador e espirituoso, A sorte do agora é escrito com a mesma inteligência e sensibilidade de O lado bom da vida. Uma história inspiradora que fará o leitor refletir sobre o poder da bondade e do amor.
"A sorte do agora" nos apresenta Bartholomew Neil, um homem de 40 anos que desde então vivia ao lado de sua mãe, cuidando dela e que por consequência, não sabia viver sem ela (literalmente). Principalmente porque a sua mãe era a sua unica companhia e amiga. Então imagine como ele se sentiu quando perdeu a única pessoa que amava e que realmente conhecia, aquela que vivia ao seu lado e que de repente, morreu. Sim, a vida dele de repente parece não ter nenhum sentindo e como ele vivia pela sua mãe, a situação se torna ainda mais pior. 

Mas mesmo sendo uma perda dolorida e que nunca se cicatriza, Bartholomew deveria voltar a viver, a depender dele mesmo e conhecer novas pessoas e novos lares. E uma dessas pessoas, ele encontra o seu amigo e ator favorito de sua mãe, Richard Gere, através de uma gaveta de calcinha, onde encontra uma carta assinada por ele. A partir daí, ele começa a escrever para o Richard, falando sobre a sua vida e lhe confidenciando tudo. Como se já conhecessem e fossem amigos íntimos.

Fora a sua mãe, Bartholomew tinha uma amizade singela com o Padre Mcnamee e com a Meninatecária (nome inventado por ele), por qual tinha uma paixonite por ela. E também a Wendy, terapeuta que ajuda aqueles que perderam alguém e que esteja de luto. 
Lembre-se de que não conseguir o que se quer, algumas vezes, é um tremendo golpe de sorte.
Com a sua vida já revirada, Bartholomew recebe a visita do Padre Mcnamee e um pedido inesperado e surpreendente. Aquela pessoa que Barth nunca imaginou que iria fazer tal coisa, acaba fazendo, que é o caso do Padre, que deixa o sacerdócio e pergunta se poderia morar com ele por acreditar que Deus não fala mais com ele. Por meio dessas cartas escritas para o Richard, Bartholomew escreve seus dramas e conflitos dos outros personagens em volta de sua vida.
Aos poucos, Matthew vai nos envolvendo com os personagens e com os conflitos gerados por eles. Mesmo sendo uma obra com temas já citados em outras obras escritas pelo o autor, ele mesmo assim consegue nos surpreender em cada detalhes. Os personagens foram muito bem construídos. Personagens humanos, reais, que ao decorrer da obra, percebemos que alguém já passou por isso ou nós mesmos já passamos. São personagens com problemas sociais, de comportamento, transtornos e principalmente que passam por situações difíceis e complicadas.

Bartholomew, um homem que tenta se reencontrar. Wendy, que tem um relacionado complicado e abusivo, e mesmo sendo terapeuta, há grandes problemas na vida que ela mesmo não sabe encontrar uma solução. Max, que assim como Bartholomew, perdeu alguém que amava. E a dor da perda não está relacionada apenas as pessoas, e sim, como um cão, um gato ou qualquer outra coisa que era próximo da pessoa. E principalmente, não posso deixar de citar o Padre Mcnamee. O principal personagem que me deixou confusa e sem saber o que sentir em relação a ele. É um personagem que tem uma importância extraordinária. É um personagem conflituoso e que esconde segredos (que não podem ser declarados, mesmo eu querendo falar).
Sempre que algo de ruim acontece com a gente, uma coisa boa acontece. Normalmente com outra pessoa. Essa é A sorte do agora. Precisamos acreditar. Precisamos. Precisamos. Precisamos".
Mas o ponto que eu quero dar mais destaque e ênfase, é o final. O final foi extraordinário, completamente imprevisível. O autor criou um final que nunca nessa vida, ou na outra, eu iria perceber e quando li as últimas páginas, Matthew realmente me surpreendeu e fez com que eu realmente amasse esse livro. 

Não posso deixar de citar o trabalho da Editora Intrínseca. A capa está linda, as letras boas para serem lidas e a diagramação mesmo sendo simples e sem detalhes, está ótima.
Matthew merece todos os aplausos de mim sobre este livro. Foi na minha opinião, uma das melhores obras (que eu já li) que ele já escreveu. "A sorte do agora" nos mostra o quão é importante ter amigos e pessoas do nosso lado. Que acontecem coisas ruins, mas também acontece coisas boas e é por isso, que vale a pena viver a vida.

11 comentários:

  1. EU PRECISO DESSE LIVRO...
    Que resenha incrível, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Oie!
    Eu ainda não li nenhum livro do autor devido a falta de inspiração mesmo. Sempre fico curiosa com algum título, mas acabo deixando a leitura para depois. Gostei muito da trama apresentada e acredito que vou gostar desse livro. Vou procurar em uma promoção para comprá-lo\o/
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não li nada do autor... Tentei O lado bom da vida mas acabei desistindo, a leitura não estava fluindo então nem tinha dado muita importância para esse lançamento.
    Ler sua resenha me fez pensar que a premissa do livro é super interessante, ainda mais que concordo quando você diz que é importante ter amigos - e que precisamos dar mais valor as coisas boas do que as ruins. Fiquei curiosa mas ainda estou com um pé atrás se dou ou não uma chance ao livro...
    De repente encontrar ele em uma promoção termine de me convencer...rs

    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  4. Olá, eu não conhecia o livro ainda mas sou louca para ler algo do autor. Pela sua resenha o livro me parece ter um enredo muito forte e que te prende já nas primeiras páginas, fiquei muito curiosa com essa leitura e espero poder ler logo.

    ResponderExcluir
  5. Amiga olha eu já tinha visto esse livro sendo divulgado e até li algumas resenhas, mas eu não me senti muito atraida para comprar não. Eu gostei da capa que sinceramente ficou maravilhosa, mas o enredo do livro eu achei meio forte para mim sabe? Gosto de leituras mais leves e por isso vou deixar passar dessa vez rs

    1 - http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/11/resenha-aprendiz-do-amor.html

    ResponderExcluir
  6. Olá, Irisvanda!
    Sempre quis ler um livro do Matthew Quick. Já peguei na mão "O Lado Bom da Vida" várias vezes e nunca comprei. Quando vi este outro livro dele na livraria fiquei em dúvida sem comprava ou não. Essa é a primeira resenha que leio do livro e depois dela tive certeza que preciso dos livros dele. Essas histórias em que personagens dão a volta por cima e procuram ajuda nos amigos me encantam. Acho que faz muito bem para nós ler livros assim.
    Beijos
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oiii
    Adoro o autor, já li dois dele e realmente ele é ótimo, espero ler esse em breve com essa capa maravilhosa e depois de ler sua resenha estou ainda mais curiosa, adorei a sinopse, ótima dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi,

    Eu já tinha visto esse livro, e olha eu acho a capa muito linda!!!!

    Não é o estilo de leitura que dou preferência, e por isso nunca tinha lido uma resenha dele, o que notei foi bobagem pois tua resenha mostra que o livro é muito legal...adoro finais surpreendentes assim sabia???

    beijos,

    Eu Pratico Livroterapia


    ResponderExcluir
  9. Oi Iris, tudo bem?
    A capa desse livro é tão linda que me dá vontade de tê-lo apenas por isso. Li somente Perdão, Leonard Peacock do Matthew e até então posso dizer que essa obra me inspirou muito. Ainda não tinha lido resenhas sobre a Sorte do Agora, mas acredito que essa história também me deixará encantada. Dica anotada.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  10. Por ter uma terapeuta que passa por dificuldades que não consegue resolver, já me interessei. hehehe Na verdade me interesso por tudo o que o autor publica, pois sei que irei gostar. O Lado Bom da Vida, dele tbm, é um dos meus livros favoritos. Final imprevisível?? Já quero muito ler! Pra ontem!
    Sua resenha ficou ótima! A Intrínseca realmente fez um belo trabalho nessa diagramação.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá... Irisvanda, tudo bem?

    Bom concordo, ter amigos é muito bom, ainda mais aqueles divertidos e que estão ao nosso lado sempre pra nos dizer uma verdade que até a gente não consegue ouvir ou não quer... esses são raros, mas não dificeis de achar... eu gostei muito da proposta do livro... achei interessante falar de amizade, esse sentimento pode parecer singular, mas quando há muita sinceridade, é um dos melhores sentimentos que pode sentir pelo próximo... fiquei curiosa com o enredo além da capa ser linda... Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Arquivo do Blog

Visualizações